Você sabe como surgiu a sua fragrância favorita? Entender como os perfumes são criados é essencial para todos os amantes de perfumaria.

Através de diversos processos e uma história milenar, as fragrâncias chegaram às nossas mãos e encantaram o mundo todo! Continue lendo para descobrir mais sobre a criação de perfumes.

Um pouco de história

Se engana quem pensa que o uso de perfumes só apareceu na modernidade. Muito antes da descoberta do Brasil, por volta de 3.000 A.C os povos Egípcios utilizavam em seus rituais uma fumaça aromatizada. Daí surgiu o termo perfume, utilizando os termos egípcios “per” (através) “fummun” (fumaça).

Por volta de 800 A.C, os gregos iniciaram a exportação de óleos extraídos de flores e plantas maceradas. E alguns séculos depois, a Babilônia se tornou o grande centro comercial de perfumaria da época.

Apesar de sua origem antiga, usar perfumes se tornou tendência apenas no período renascentista. E graças às cidades europeias, com destaque para a Itália, as fragrâncias foram se tornando cada vez mais elaboradas.

Representação do uso de perfumes no Egito Antigo.

O que tem dentro de um frasco de perfume?

Inicialmente os perfumes eram produzidos através de uma mistura entre óleos essenciais e aromáticos, com álcool e água. Mas com o passar dos anos as fórmulas utilizadas e os processos se modernizaram. Tudo isso para garantir que os perfumes possuam ainda mais fixação, projeção e um aroma agradável.

Como os perfumes são criados atualmente?

Antes de tudo é preciso extrair aromas das flores, madeiras, frutas, plantas, especiarias e de outras diversas matérias primas. Para você ter uma ideia sobre qual extrato foi utilizado na composição de um perfume basta observar a família olfativa. Ela vai dizer se o perfume é amadeirado, com extratos de madeira, floral, possuindo extrato de flores, e assim por diante.

Existem extratos mais raros do que outros e isso com certeza influencia no valor do perfume. Por exemplo, o oud é uma madeira exótica das florestas orientais difícil de ser encontrada. E seu óleo chega a custar duas vezes o valor do grama de ouro!

Apesar da tecnologia de fabricação que surgiu com o passar dos anos, a fórmula de criação dos perfumes permanece basicamente a mesma. Ela contém: Água + Álcool + Absoluto (Essência). A diferença é que atualmente as essências utilizadas são mais puras. E, além disso, sua manipulação é feita a partir de diversos estudos e experimentações avançados.

Oficina de Criação de perfumes.

Planejamento antes de tudo!

Depois de ler tudo isso, você acha que as fragrâncias são criadas através de ingredientes aleatórios que combinam uns com os outros? Pois saiba que não é bem assim.

O Sucesso de perfumes renomados como: J’adore, La Vie Est Belle, Sauvage, Good Girl, Chloé, Azzaro Pour Homme, entre outros, não veio do nada.

Sempre que uma marca deseja criar um novo perfume é realizada uma pesquisa de mercado. Essa pesquisa é feita entre pessoas que possuem o perfil do público da fragrância a ser criada. Nela são levados em conta os gostos, preferências, estilos, etc, para criar aromas e embalagens que agradem os futuros compradores.

Depois desse processo é a vez do perfumista atuar. Em geral, a paleta de aromas do perfumista possui cerca de 2,5 mil ingredientes. E, além disso, ele seleciona de 30 a 300 para trabalhar e construir fragrâncias.

Logo após a escolha do perfume, se inicia a produção em larga escala da fragrância. Em seguida, os perfumes passam por um período de concentração em grandes tonéis para ter os seus aromas acentuados. Por fim, eles são embalados e entregues aos consumidores.

Para entender ainda melhor como os perfumes são criados

Ficou curioso para ver na prática todos esses processos de criação de um único perfume? Na reportagem a seguir da Amazon Sat você confere os detalhes da produção dos perfumes e seu período de acentuação. Clique no Play e confira:

Para receber mais curiosidades como essa, cadastre o seu e-mail em nosso Blog. São diversos conteúdos e novidades toda a semana!